Buscar
  • Cemusical

Como tirar música de ouvido?

Esse com certeza é o objetivo de dez entre dez músicos ou estudantes de música.

Mas será que existe um manual, ou algum método mágico para que se consiga tirar qualquer música de ouvido?


Se você chegou até esse post esperando uma fórmula milagrosa que vai te deixar com o ouvido “biônico”, sinto em informar, mas isso não existe.


Mas nem tudo são espinhos, felizmente podemos aplicar alguns conceitos que aos poucos nos permitirão ouvir e entender o que se passa nas músicas e com isso conseguir tirar praticamente tudo de ouvido.


Antes de começar preciso contar um pouco da minha história. Não me lembro bem o ano, mas faz muito tempo com certeza, que comecei a me interessar por música, e o primeiro som que ouvi e me fez querer ser guitarrista foi o disco Paranoid do Black Sabbath, aliás, o primeiro riff que tentei tocar fazia parte exatamente desse disco.


Naquela época tudo era muito difícil, o acesso a informação era escasso, não havia site, revistas especializadas ou qualquer coisa que ajudasse, era praticamente eu e meu ouvido (que insistia em me trair).



A coisa começou a melhorar quando entrei em um conservatório e comecei a ter aulas de guitarra. Fui desenvolvendo ali a percepção e a técnica necessária para atingir os meus objetivos, e claro sempre estudando e praticando muito.


Muito tempo se passou quando eu, já formado em música, recebi um convite para fazer parte do time de colunistas da extinta revista Cover Guitarra atuando como transcritor.


Mesmo sendo um músico formado, eu ainda tinha dificuldades para transcrever, pois tinha que tirar e escrever nota por nota músicas de artistas de estilos variados muitos dos quais eu nem conhecia a fundo.


Foi aí que desenvolvi um sistema que facilitou a minha vida e que chamo de TÉCNICA DOS MESTRES. Mas antes de explicar como esse sistema funciona quero deixar aqui algumas dicas para ajudar você que está tendo dificuldades em tirar música de ouvido.


Transforme seu cérebro em uma mesa de som


Você precisa conseguir ouvir cada instrumento ou voz, separadamente dentro da sua cabeça, em outras palavras você precisa “aprender” a ouvir corretamente.


Se você quer tirar um solo, precisa ouvir com clareza todas as notas dele, então treine para que você consiga se concentrar em ouvir somente o solo.


É como se seu cérebro funcionasse como uma mesa de som, onde você deixa soando apenas o canal da guitarra solo e dá um “mute” em todos os outros canais.

O braço da guitarra é um mapa, explore!



A guitarra é um instrumento que permite que uma mesma nota seja tocada em regiões diferentes, por exemplo, a nota Sol que encontramos na quinta casa da quarta corda, pode ser encontrada também na terceira corda solta.


Mas isso não quer dizer que a sonoridade será a mesma. Vamos tomar como exemplo o acorde de Dó maior, na primeira região (o modelo mais conhecido) a nota que fica na ponta, ou seja, a nota que fica na parte mais aguda do acorde é a nota Dó.



Já se montarmos esse mesmo acorde na segunda região utilizando a pestana na terceira casa, a nota da ponta será Mi, isso muda sensivelmente a sonoridade do acorde.



Saber identificar onde a nota ou acorde foi tocado facilitará muito o seu trabalho em tirar música.

Aprenda a identificar os intervalos


Intervalo é a distância existente entre dois sons, ou duas notas se você preferir.


Podemos classificar os intervalos como segundas, terças, sextas, maiores, menores, harmônicos, simples, descendentes etc.


Saber identificar esses intervalos apenas ouvindo é de fundamental importância para saber se um acorde é maior, menor, diminuto etc.

Para o treino de intervalos existem diversos aplicativos gratuitos para celular que você pode baixar, eu recomendo o Ouvido Perfeito.



Outro estudo que você deve fazer é o de decorar o som das notas musicais. E para isso recomendo o aplicativo Ouvido Absoluto. Pratique todos os dias pelo menos 15 minutos.


Que técnica é essa?


Para conseguir tirar qualquer música de maneira correta é necessário também saber identificar ornamentos e técnicas como bends, vibratos, slides, harmônicos etc.

Entendendo a TÉCNICA DOS MESTRES

Antes de qualquer coisa é preciso dizer que esse não é um método mágico, e sim conceitos que se aplicados de forma correta darão sim o resultado esperado.


É preciso que você tenha noções de teoria musical, saber identificar intervalos, escalas, técnicas e ornamentos.


A TÉCNICA DOS MESTRES é dividida em 4 tópicos:

· Postura

· Digitação

· Técnica

· Marca Resgistrada

POSTURA


Quando for tirar algo de seu guitarrista preferido, preste atenção à postura dele ao tocar, como ele segura a palheta? Como é o seu jeito de palhetar? Ele usa mais o pulso ou os dedos? Qual o calibre de cordas ele usa? A ação de cordas dele é alta ou baixa?


DIGITAÇÃO


Faça uma análise de qual é a digitação mais utilizada por ele. Ele utiliza todos os dedos? Ele utiliza mais um dedo do que outro? Qual modelo de escala ele utiliza mais (três notas por corda, duas notas por corda)? Qual região do braço da guitarra ele costuma tocar mais? Ele toca de forma mais horizontal ou vertical?


Por exemplo, guitarristas de Country costumam usar muitas cordas soltas em suas frases, já guitarristas de Rock usarão na maioria das vezes padrões de três notas por corda.

TÉCNICA


Fique atento a qual tipo de técnica seu guitarrista preferido ou aquele que você quer tocar utiliza mais. Sweep, Ligado, Tapping, Bend, enfim cada guitarrista tem uma técnica preferida, aquela que facilita seu trabalho e execução.


Por exemplo, ao analisar o estilo do guitarrista australiano Frank Gambale notamos claramente que a técnica preferida dele é o sweep picking, que ele utiliza em praticamente tudo, de arpejos a escala pentatônica.


MARCA REGISTRADA


Costumo colocar nesse tópico tudo o que me permita identificar o estilo de determinado guitarrista somente em ouvir seu som. Quando ouço o Santana, por exemplo, sei que é ele mesmo sem vê-lo tocar, quando ouço o Zakk Wilde é a mesma coisa.


Isso acontece por que eles têm a tal “marca registrada”, que foi forjada ao longo de anos e consiste em uma série de fatores: Escala, Timbre, Harmonia, Licks e Frases.


Yngwie Malmsteen, por exemplo, utiliza a escala menor harmônica sobre o quinto grau da tonalidade, resultando no modo Frígio Maior ou Frígio Dominante.


Joe Satriani utiliza muito o modo Lídio em mudanças de tonalidade que ele chama de eixo tonal (pitch axis).


Zakk Wilde utiliza muito a escala pentatônica em 3 notas por corda com o uso dos efeitos de Chorus e Wah ligados simultaneamente, além de muitos harmônicos artificiais.


Procure perceber essas nuances na maneira de tocar de seu guitarrista favorito, essa com certeza é a maior “sacada” para que você consiga atingir a sonoridade do seu ídolo e por conseqüência se aproximar do seu estilo.

Utilizei a técnica dos mestres para analisar o estilo do guitarrista Yngwie Malmsteen, você pode conferir essa análise clicando aqui.


Espero que essas dicas ajudem você a conseguir tirar suas músicas preferidas de ouvido. Claro que tirar música deve ser um exercício constante para que sua percepção se torne cada vez mais apurada.


Forte Abraço e até a próxima.



Luciano Vieira é músico profissional e professor de guitarra há 20 anos. Durante 10 anos foi colunista das revistas Guitar Player, Cover Guitarra e Guitar Class. É autor dos métodos Improvisando com a escala pentatônica, Pentatônicas além do blues, songbook Iron Maiden, 25 licks que todos os guitarristas usam e recentemente lançou o método DESTRAVANDO A SUA TÉCNICA. Também transcreveu os métodos Guitarristas do Brasil e Songbook Faíska Bend.



76 visualizações

1146682352

©2019 by Cemusical Cem. Proudly created with Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now